Plano de ação 13 – Um Herbário para chamar de nosso

Foto: Shutterstock

Um Herbário para chamar de nosso

PA 13 – Produção de um herbário com conhecimentos científicos e memórias da comunidade

Tema formativo: Conservar/ Técnicas de restauração / Comunidades/ Diferença entre Biomas

Título: Um Herbário para chamar de nosso

Desafios: 

  1. Conhecer espécies nativas de um bioma brasileiro 
  2. Reunir conhecimentos científicos e populares sobre as espécies nativas
  3. Elaborar um herbário com os diferentes tipos de conhecimentos

Contexto: Desde sempre a exuberância da natureza brasileira causa curiosidade, paixão e é alvo de grandes descobertas. Quando os europeus chegaram em nosso continente, ficaram extasiados com tanta biodiversidade. Essa nova paisagem precisava ser compartilhada com aqueles que não teriam a oportunidade de olhar com seus próprios olhos o meio ambiente mais rico de nosso planeta. Esse contexto é um dos motivos para que novas técnicas de estudo da flora tenham sido desenvolvidas. O herbário, coleção científica de plantas secas, prensadas, fixadas individualmente e catalogadas, nasce nesse contexto. Por meio de tais procedimentos, naturalistas puderam levar informações da flora desconhecida para serem estudadas por outros cientistas. Considerado um documento de referência, a atividade iniciou-se no século 16 e até hoje é praticada por botânicos. Existem inúmeros herbários espalhados por todas as regiões do planeta, e eles são grandes fontes de estudo das espécies vegetais. A técnica de secar a planta e fixá-la em papel, junto com informações científicas, ainda é a base da coleção, mas atualmente o também costuma ser digitalizado. 

O estudo da flora através do herbário ajuda a identificar novas espécies e suas regiões de origem. Compreendendo quais são as vegetações nativas dos biomas é possível também estudar as relações ecológicas, propriedades do solo, elaborar ações de conservação e restauração, assim como valorizar e evitar a extinção de espécies. Conhecer espécies nativas é ainda um caminho para se compreender a cultura, a história local, a relação dos povos com as plantas, identificar novos alimentos e potenciais econômicos.  

Para realizar o desafio é importante entender sobre:

  • Biomas brasileiros
  • Espécies nativas
  • Nome científico e nome popular
  • Técnica de secagem das plantas.
  • Exsicatas: as plantas secas preparadas, já fixadas em cartolina
  • Herbário

Atividade sugerida

Produção de um herbário para a documentação e valorização de espécies nativas

Etapas

  1. Identifique qual o bioma em que você vive e levante quais são as principais espécies nativas do bioma. 
  2. Pesquise se essas espécies estão presentes na sua região para que você possa realizar coletas da vegetação nativa.
  3. Para cada espécie, é interessante coletar folhas, flores e  frutos. Se não for possível, já que as flores e frutos aparecem em épocas diferentes, tente coletar ao menos duas partes vegetais.
  4. Para o processo de secagem, você pode produzir uma prensa (veja em Fontes de pesquisa e inspiração, com link) ou colocar cada conjunto de planta no meio do jornal. Após todas as plantas colocadas no jornal monte uma pilha pesada sobre esse material. Quanto maior for o peso, melhor será o processo de deixá-las bidimensionais, em outras palavras, fininhas como uma folha de papel. 
  5. Guarde o seu material em um lugar fechado e quente para que o processo de secagem se torne mais rápido. Dependendo das condições climáticas da sua região, é importante observar as plantas a cada três dias e, se o jornal estiver úmido, troque-o para evitar o crescimento de microorganismos, como fungos. 
  6. Após a secagem da planta, você deve montar a exsicata, o que corresponde a planta seca, fixada em cartolina junto com sua ficha de identificação. 
  7. Elabore as fichas das plantas. As principais informações são: nome científico, nome popular, origem, data de coleta, local de coleta e responsável pela coleta. Como este herbário tem a função de identificar as espécies nativas de sua região, você pode incluir mais informações como, propriedades alimentares e/ou medicinais, potenciais econômicos, etc. Não se esqueça de buscar fontes confiáveis para que o seu trabalho apresente informações comprovadas cientificamente.
  8. Cada planta nativa também deve apresentar sua história com a cultura local. Procure entrevistar pessoas mais velhas, comunidades que trabalham diretamente com as espécies nativas. Resgate as memórias da sua comunidade e registre essas informações nas fichas das plantas. 

Observação: Esse projeto privilegia atividades ao ar livre, o aprofundamento do conhecimento do território, mas implica no contato com moradores locais. Prepare-se para interagir com atenção aos protocolos sanitários.

Sugestões de entrega:

  • Exposição das exsicatas em sua comunidade, com registro fotográfico
  • Herbário digitalizado
  • Book Creator   

Qualquer que seja a forma de apresentação, elabore um pequeno texto explicando o trabalho, deixando registrado a importância das espécies nativas para a conservação do meio ambiente. Se optar por trabalhos digitais, compartilhe o máximo possível. O conhecimento de espécies nativas pode servir como iniciativas de restauração.

Fontes de pesquisa e inspiração:

https://www.wwf.org.br/?77048/Guardias-das-florestas-que-abrigam-grandes-comunidades-de-especies

https://www.embrapa.br/contando-ciencia/arvores/-/asset_publisher/Zd2bjD3HpAAC/content/herbario/1355746?inheritRedirect=false

http://blog.cria.org.br/

https://www5.usp.br/noticias/ciencias/herbarios-da-usp-revelam-riqueza-da-biodiversidade-vegetal/

https://www.youtube.com/watch?v=-q0qKwkXYWA

https://www.youtube.com/watch?v=reuCBWSlAEU

Compartilhe

Deixe sua sugestão




    Utilizamos cookies e outras tecnologias para lhe oferecer uma experiência de navegação melhor, analisar o tráfego do site e personalizar o conteúdo, de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.